Home » Seu Lar » Saúde » E se usássemos 100% da capacidade do cérebro?

E se usássemos 100% da capacidade do cérebro?

A pergunta sempre fica no ar: e se usar 100% do meu cérebro serei um super herói? a resposta é não, confira o porque disso e outros fatores interessantes que explicam o porque não usamos 100% da nossa capacidade mental.

23/09/2011 00h51m. Atualizado em 29/10/2014 14h02m por:

 

sem limites filmeMuitas vezes nos perguntamos, e se usássemos 100% da capacidade do cérebro? confira! Olá galera! Nos últimos dias o que mais discuti foram temas acerca da moda e beleza, mas além de linda uma mulher realmente moderna e poderosa precisa estar bem antenada, concordam? Por isso mesmo o assunto hoje é um pouco diferente do “convencional”:

Lendo a matéria de uma revista de curiosidades, o titulo do presente artigo me chamou bastante a atenção. Li coisas que não imaginava e achei legal compartilhar com os demais. Vamos ver?

Os cientistas explicam que o “serviço completo” até acontece, por exemplo, numa conversa entre amigos, todas as áreas do cérebro sãoacionadas, mas, apenas um pouquinho de cada uma e não, todo o potencial. Caso tal “fenômeno” ocorresse não, não seriamos super heróis e heroínas, mas talvez conseguíssemos também uma bela dor de cabeça.

usar 100 do cerebro

As áreas estimuladas no nosso cérebro possuem cerca de 1% de gasto a mais que as outras que se encontram em repouso. Com todas as áreas trabalhando por conta do “super cérebro” o coitado seria muito mais exercitado e isso ocasionaria um cansaço mental digno de inúmeros brancos na memória além de pifar de vez enquanto, tipo o seu computador quando passa dias ligado sem descanso. Mas, é claro que existiriam inúmeros benefícios, né?

A criatividade não teria limites e com certeza inúmeras descobertassurgiriam, proporcionando um maior avanço da tecnologia, cura para doenças, criação de diversos itens necessários e também desnecessário, claro. Os pensamentos também correriam a todo vapor assim como o armazenamento de informações como línguas diversas, leituras de inúmeros livros em pouquíssimos dias, compreensão quase imediata de diversos assuntos alem de uma capacidade de sentir sensações ao mesmo tempo, que, na minha opinião seria um grande problema.

Outro problema de ter um cérebro turbinado seria o da falta de concentração. Os pesquisadores explicam que seria muito difícil para o individuo focar em uma única atividade. Assim, ele largaria tudo pela metade, mais ou menos como acontece com os superdotados que, diga-se de passagem, são os únicos conhecidos até hoje que possuem uma maior capacidade de trabalho do cérebro.

Outra curiosidade sobre o tema discutido é que trabalharíamos incansavelmente para encontrarmos sempre a melhor solução dos problemas, tendo grandes chances de ser muito perfeccionistas e sofrer com a “mania” de usar a lógica todo o tempo para calcular e medir as conseqüências dos atos cometidos. Importante lembrar que tal situação ocorre com grande parte dos superdotados: na pesquisa feita, cerca de 87,5% dos entrevistados eram perfeccionistas. Tudo bem que usar a emoção todo o tempo também causa problemas, mas imagina ser racional todo o tempo? Acredito que um grande sofrimento tomaria conta de pessoas que agissem de tal forma ou, pelo contrario, certa insensibilidade existiria.

Pois é meu povo, uns dizem que esse papo de termos somente 10 a 20% do nosso cérebro em ação é balela; outros, dizem que não, que é essa a porcentagem exata que temos disponível em nossa caixinha de surpresas. Mas, é importante deixar claro que a intenção aqui foi somente compartilhar com vocês os prós e os contras de um cérebro ainda mais poderoso. Agora cabe a cada um pensar se é melhor ficar como está ou idealizar uma versãoturbinada dessa máquina maravilhosa que é o cérebro humano.

Confira o trailer do filme Sem Limites:

 
 

 
Comente via Facebook!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *