Home » Seu Lar » Saúde » O combate contra o tabagismo e suas consequências

O combate contra o tabagismo e suas consequências

Tabagismo é a doença provocada pelo excesso de nicotina no organismo. Ao longo do ano são gasto milhões em combate e campanhas contra o tabagismo, uma das doenças que mais mata no mundo.

14/03/2011 17h10m. Atualizado em 03/03/2015 16h35m por:

 

Doença provocada pelo excesso de nicotina no organismo. A nicotina, um dos componentes do tabaco, é a responsável pelo estabelecimento de uma dependência orgânica. Oito segundos depois de inalada, ela atinge a corrente sanguínea, chega ao cérebro e produz uma sensação de bem-estar. Essa sensação é seguida de redução da ansiedade, aumento da vigilância e capacidade de concentração, diminuição da fome. Estima-se que a fumaça do cigarro contenha aproximada- mente 4,7 mil substâncias químicas, das quais 60 são cancerigenas.

O tabagismo é responsável por 90% dos casos de câncer de pulmão, 30% de outros tipos de câncer, 85% das doenças pulmonares e 50% das doenças cardiovasculares.

Confira:

– Azeite no combate de doenças e vícios;

1. Combate ao tabagismo

O tabagismo é combatido, em geral, com a associação de tratamento psicológico, terapias de apoio e reposição de nicotina, que pode ser feita por meio de adesivos, gomas de mascar ou inaladores.

1-doenças do tabagismo

Podem ser usadas ainda drogas anti-depressivas, que, tomadas diariamente, também reduzem a ansiedade e proporcionam sensação de bem-estar.

2. Mortes anuais pelo tabagismo

Segundo a OMS, o tabagismo mata anualmente 5,4 milhões de pessoas no mundo. As políticas públicas são consideradas importantes instrumentos para combater o vício. No Brasil, a restrição legal começou em 1996, com a lei que proíbe o fumo em recintos coletivos fechados, privados ou públicos, e prevê a criação de fumódromos.

2-doenças do tabagismo

3. Compromissos da ONU

Em 2005, o país ratificou a Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco, da Organização das Nações Unidas (ONU). As nações signatárias do documento assumem o compromisso de implantar medidas para reduzir o tabagismo e a exposição dos não fumantes à fumaça. As leis estaduais promulgadas no Brasil a partir de 2009 são, no geral, mais restritivas que a federal e eliminam os locais onde as pessoas possam fumar, os fumódromos.

 
 

 
Comente via Facebook!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *