Vidraria de laboratório de química

O laboratório de química é um local onde pesquisadores fazem diversos experimentos com diversas substâncias, que são analisadas, misturadas e separadas, em busca de resultados que possam auxiliar a humanidade.

Estas pesquisas são a porta para descoberta de novos tipos de remédios, da cura para doenças existentes pelo mundo, do descobrimento de novos elementos químicos, e muito mais. E todos estes laboratórios possuem diversos itens, que são usados pelos pesquisadores para lhes auxiliar no manuseio e estudos de diversas substâncias, sejam elas sólidas, líquidas ou gasosas.

Principais vidrarias de um laboratório de química

Veja abaixo quais são as principais vidrarias que estão presentes em um laboratório de química:

Vidraris de laboratório quimico balão de destilação

Balão de destilação

Balão de destilação: é uma vidraria de fundo chato e resistente ao calor, corpo abaloado que se prolonga em um tubo mais afinado, e que é fabricado com uma mistura de óxido de silício, sódio, alumínio e boro (os mesmos compostos do pirex).

Ele serve para armazenar líquido (misturas) que serão aquecidas a uma determinada temperatura, para que os componentes mais voláteis (com ponto de ebulição diferente) se transformem em vapores, e posteriormente sejam coletados em outro recipiente, completando assim a destilação (separação dos compostos).

Vidraris de laboratório quimico condensador

Condensador

Condensador: um tubo utilizado para resfriamento e coleta dos gases liberados pelo balão de destilação, que se condensar e são coletados em outros frascos. Ele é feito em modelos retos (Liebig), com bolas e também com serpentinas.

Vidraris de laboratório quimico balão de fundo chato

Balão de fundo chato.

Balão de fundo chato: são recipientes usados para armazenas líquidos e soluções, e também para obter reações químicas diversas que ocasionam desprendimento de gases. Eles podem ser levados ao fogo em um tripé e até mesmo em uma manta aquecedora.

Vidraris de laboratório quimico balão de fundo chato e redondo

Balão de fundo redondo

Balão de fundo redondo: são semelhantes ao balão de fundo chato, e geralmente é usado para coleta da evaporação dos vapores da destilação a vácuo, mas também servem para preparo de reações químicas que liberam gases. E podem ser usados em um tripé para aquecimento de líquidos.

Vidraris de laboratório quimico balão volumétrico

Balão volumétrico

Balão volumétrico: um balão com escala milimétrica, que é usado para preparo de soluções diversas e que exigem precisão de cada composto. Ele também é usado para medição do volume de líquidos em geral.

Vidraris de laboratório quimico béquer

Béquer

Béquer: recipiente de vidro muito utilizado dentro do laboratório para mistura de soluções, para dissolver substâncias, preparo de reações químicas, aqueces líquidos e muito mais. Este recipiente também pode ser usado para aquecer substâncias.

Vidraris de laboratório quimico bastão

Bastão de vidro

Bastão de vidro: utilizado para misturar soluções e experimentos, e também para transferir líquidos de um recipiente ao outro. Ele é fabricado em vidro, para que não interaja como reagente em nenhuma das soluções.

Vidraris de laboratório quimico bureta

Bureta

Bureta: é um bastão medidor, que possui uma calibração adequada para medir de forma precisa o volume dos líquidos que serão manuseados. Sua escala de medição é formada por décimos de milímetros, e em sua ponta existe uma torneia para dar vazão ao líquido.

Vidraris de laboratório quimico Erlenmeyer

Erlenmeyer

Erlenmeyer: um tubo utilizado da mesma forma que o béquer, mas que possui uma boca afunilada, e corpo mais estreito, permitindo assim que a substância em seu interior possa ser agitada manualmente. E seu formato afunilado impede a perda de líquidos quando o frasco é agitado.

Vidraris de laboratório quimico proveta

Proveta graduada

Proveta graduada: é um frasco afinado e usado para medição em precisão, devido a sua escala milimétrica impressa em seu corpo. Ela possui capacidade volumétrica entre 25 ml até 1000 ml, mas não pode ser levada ao fogo.

Vidraris de laboratório quimico 2

E no laboratório ainda temos o frasco lavador (pisseta), o pipetador tipo pera, a pipeta Pasteur, a pipeta volumétrica, a pipeta graduada, o kitassato, o funil de separação, o funil de haste longa, o funil de buchner, as espátulas e colheres, o termômetro, os tubos de ensaio, e muito mais. E todos possuem suas funções específicas, que devem ser usadas de acordo com cada experiência realizada.

Limpeza das vidrarias do laboratório

A limpeza de todas as vidrarias contidas em um laboratório deve ser realizada imediatamente após seu uso, e depois a peça deve ser esterilizada para que ela volte a ser usada sem problemas ou risco de contaminação pela mistura de substâncias.

Primeiramente as sobras devem ser descartadas em local adequado, e a peça deve ser enxaguada. Depois a peça deve ser limpa com uma solução de limpeza adequada, ou uma solução ácida conforme a necessidade.

Peças com sujeira residual devem ser deixadas de molho por um período, mas sem o uso de substâncias abrasivas, que podem causar danos ao vidro. Lembre-se também de manusear as peças com a devida proteção (luvas, óculos, mascaras) para evitar queimaduras na pele, irritação nos olhos e inalação de substâncias tóxicas.

Vidraris de laboratório quimico limpeza

Vidros novos devem ser lavados antes do primeiro uso, para não transmitirem contaminação aos experimentos. E as peças também podem ser esfregadas com o auxílio de uma escova apropriada, para retirada de toda sujeira.

Cuidados com a Vidraria

Cuidado para não provocar riscos nas peças, pois um risco pode se tornar uma rachadura em potencial durante uma experiência, principalmente com calor.

Depois as peças devem ser enxaguadas para retirada de todo sabão e produto de limpeza, e depois esterilizadas em equipamentos apropriados para cada tipo de vidraria. Em caso de dúvidas consulte pergunte ao seu supervisor ou ao coordenador do laboratório, para não cometer erros que possam prejudicar a sua saúde e a de toda equipe.